Sintomas da Pressão Alta e Pressão Baixa

Sintomas da Pressão Alta e Baixa

Sintomas da pressão alta e baixa

Neste artigo abordaremos principalmente os sintomas da pressão alta (Hipertensão Arterial) e sintomas da pressão baixa (Hipotensão Arterial). A pressão que o sangue exerce na  cavidade arterial e suas paredes compreende a Pressão Arterial propriamente dita.  É medida no momento da contração muscular cardíaca (pressão sistólica) e do relaxamento muscular cardíaco (pressão diastólica).
A Hipertensão é conhecida da medicina como vilã silenciosa, pois não expressa sintomas na maioria dos casos. Em 2013 a Organização Mundial de Saúde (OMS) escolheu como tema para sua campanha de conscientização a nível mundial, a Hipertensão. Considerada fator de risco para 9,4 milhões de pessoas em todo o mundo.
Predisposição genética, idade, sexo, estresse e excesso de peso podem contribuir para disfunções da pressão arterial. Além de problemas renais, endócrinos, medicamentosos e a gravidez. No inicio não há sintomas, mas com o passar de longos períodos de tempo os sintomas surgem inevitavelmente, e de forma aguda ou crônica.

Quais são os sintomas da pressão alta?

Os principais sintomas da pressão alta (Hipertensão Arterial) incluem: dor de cabeça; náusea; arritmias; hemorragias nasais; intolerância ao exercício; falta de ar e em alguns casos desmaios.

Sintomas da pressão alta na gravidez

Quanto aos sintomas da pressão alta na gravidez serão os mesmos em relação aos adultos em geral, caracterizados como Pressão Alta de Início, durante a gravidez e Crônica quando já era existente antes da gravidez. Contudo, alguns fatores gestacionais podem aumentar as chances de pressão alta durante o curso da gravidez: mulheres com muito ganho de peso durante a gravidez; grávidas pela primeira vez; grávidas de gêmeos, gestantes com mais de 35 anos ou na adolescência. Assim como, o histórico familiar corresponde a um importante fator predisponente.
Existem maneiras de diminuir a pressão arterial alta. Mudando hábitos alimentares; evitando excessos, consumo elevado de sal, alimentos ricos em gordura, tabagismo, álcool e até mesmo cafeína.

Aqui vão algumas dicas de como viver uma vida com “Menos Pressão”:

1. Faça caminhadas regulares na praia, parques, etc. Caminhar é um exercício cardiovascular e acrescentará melhorias no sistema circulatório.
2. Seja uma pessoa bem-humorada, uma atitude positiva sempre faz bem ao corpo.
3. Cuide do seu sono, durma bem e faça exercícios de alongamento antes de levantar.
4. Prefira frutas ao invés de doces.
5. Opte por refeições frescas e comidas leves, isso irá melhorar sua energia durante o dia.

Quais são os sintomas da pressão baixa?

No caso da pressão baixa ou Hipotensão Arterial os sintomas são: dor de cabeça, fadiga, palidez (devido ao baixo índice de perfusão sanguínea),  visão escurecida, enjoos, perda do equilíbrio, suor frio, arritmia cardíaca e etc.  A pressão baixa por si só não caracteriza uma doença, mas pode estar relacionada a patologias primárias graves como, embolia pulmonar, diabetes mellitus, infartos miocárdicos entre outras síndromes. Situações hipovolêmicas (baixo volume de sangue)  como hemorragias também podem reduzir a pressão sanguínea dentro das artérias.
Na gravidez a pressão arterial tende a baixar devido a dilatações nos vasos sanguíneos pela necessidade do aporte sanguíneo a placenta e consequentemente ao feto em desenvolvimento, reduzindo assim o volume de sangue no corpo da gestante. A pressão baixa é normal durante a gravidez não representando riscos a gestação como no caso da pressão alta que pode inclusive causar aborto. Toda mulher em fase de gestação independentemente dos fatores hereditários ou predisponentes deve receber acompanhamento médico específico.
Não existe um tratamento que previna a pressão baixa, mas algumas medidas podem atenuar as crises. Basicamente a gestante deve evitar situações em que seus vasos sanguíneos se dilatem como em banhos quentes, por exemplo.

Eis aqui algumas recomendações para lidar com a pressão baixa:

  1. Pratique exercícios físicos regularmente, pois são benéficos ao sistema circulatório.
  2. Evite permanecer em lugares quentes e úmidos por muito tempo.
  3. Beba líquido com frequência, isso evita a desidratação e consequente redução do volume sanguíneo.
  4. Cuidado ao se levantar da cama, não faça isso rápido demais. Primeiro sente-se por alguns minutos e então fique de pé.
  5. Se estiver tomando medicamentos verifique com seu médico se estes têm algum tipo de ação farmacológica sobre a pressão arterial.

No Brasil são relativamente escassos os estudos a respeito dos níveis de pressão arterial sistêmica, não há dados claros sobre a prevalência de pressão alta ou baixa em nossa população, mesmo sendo um sério problema de Saúde Pública. O importante é não descuidar da saúde e preservar hábitos saudáveis e optar por uma vida mais natural. Não deixe de consultar um médico imediatamente caso sinta alguns desses sintomas da pressão alta citados acima. O certo é estar sempre medindo sua pressão para saber se está controlada. O mesmo serve para os sintomas da pressão baixa, não espere senti-los para cuidar da sua saúde.

M.P Batista

Referências:

  • MACHADO, D. F. Prevalência de hipertensão arterial sistêmica em mulheres gravidas.
  • MAGALDI, C. & ALMEIDA, D. B Aspectos epidemiológicos e preventivos da doença hipertensiva e hipotensiva.
  • Websaúde
  • Organização Mundial de Saúde (OMS)

 

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votos, média: 5,00 de 5)
Loading...

 

Deixe seu Comentário

comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *